ACI Cruz Alta
ACI Cruz Alta Frase
Telefone ACI Cruz Alta

Primeiro “Tá na Hora Cruz Alta” surpreende público

24 de abril de 2018.

Anterior
Próxima

Em sua primeira edição o “Tá na Hora Cruz Alta”, realizado na última sexta-feira (20), na Casa de Cultura Justino Martins surpreendeu o público que acompanhou o evento. Pertencimento foi a palavra da noite.

Durante a abertura do evento, o presidente da ACI Cruz Alta, Darci Martins falou sobre o significado de pertencimento e a importância de praticarmos isso em nossa vida. “Precisamos nos sentir parte integrante do processo de desenvolvimento de nosso município, o pertencimento deve nortear todos os cidadãos e empresários cruz-altenses, pois precisamos interferir na rotina e nos rumos da nossa cidade para buscar a Cruz Alta que queremos para o futuro”, destacou.

Mais do que uma noite de ouvir cases inspiradores foi, uma noite de emocionar-se e renovar os votos de amor e união. Ao falar sobre sua trajetória, Darci Schneid, fundador e diretor da empresa Sirtec Sistemas Elétricos, explicou o porquê sua empresa, com funcionários que são na maioria eletricistas, que trabalham no frio, de madrugada, muitas vezes com chuva, foi eleita por três vezes a melhor empresa para se trabalhar no Brasil. Ele explica: “Cada profissional nosso tem muito claro o propósito: mais que trocar o poste, é o que a solução desse problema vai trazer de bom para outra pessoa”, conta.

O empresário, que mudou o rumo do seu destino quando decidiu estudar além da 4ª série, e mais que isso, estudar eletromecânica e mais tarde empreender no ramo, deixou ainda um recado importante: “Saber onde queremos chegar é o que nos move, e tão importante quanto ter claro quais as nossas estratégias e diretrizes é trabalhar duro, pois um bom planejamento não se executa sozinho”.

Para ele, para transformar Cruz Alta é preciso que as pessoas que aqui estão tenham interesse e necessidade disso.

UNIÃO E RECONSTRUÇÃO

Conter as lagrimas não foi fácil para quem pode ouvir do prefeito de Chapecó, Luciano Buligon, como uma cidade unida por um time de futebol conseguiu reconstruir-se após uma triste tragédia que vitimou setenta e uma pessoas.

 “Criada para nos mostrar para o mundo em 1973 a Chapecoense é o símbolo da nossa cidade”, contou o prefeito, que por esse motivo está sempre apoiando e participando junto com o time.

Luciano, que iria viajar com a Chapecoense, para a final da Copa Sul Americana, quando o acidente ocorreu, contou em detalhes, todos os motivos que o fizeram não ir no mesmo voo que a equipe, e a sua missão de buscar e reconhecer as vitimas após acidente aéreo. O avião caiu pouco antes de chegar ao aeroporto de Rio Negro, na Colômbia. Falou sobre o retorno ao Brasil e Chapecó (SC), e como todo o amor e força recebidos nesta trajetória foram fatores determinantes para a passagem desse momento. 

Impossível foi não emocionar-se. “Solidariedade, amor e fraternidade: isso nos move e foi o que fez com que nos reconstruíssemos”, destacou Luciano, afirmando ainda que a sua missão é ser um prefeito comprometido com a cidade de Chapecó.

Aos 100 anos e com mais de 210 mil habitantes, Chapecó é, atualmente, conhecida como a capital da agroindústria e principal polo de desenvolvimento econômico no oeste de Santa Catarina. No final da década de 60 várias cooperativas foram fundadas, foi quando, segundo Luciano, criou-se um grande movimento para que Chapecó não tivesse dono. “Em Chapecó temos um jargão: - Chapecó não tem dono, todos somos donos de Chapecó -, e isso nos desafia”, conta o prefeito.

Para Cruz Alta seu recado é: “Tudo que vocês quiserem fazer com Cruz Alta façam com amor. O que precisa são pessoas com vontade de transformar. Unam-se”, destacou.

Após o evento, empresários demonstraram a satisfação em fazer parte deste momento. “Com certeza, não só levamos lições de empreendedorismo, mas de vida! Chapecó somente é essa cidade pujante devido ao sentimento de PERTENCIMENTO, que seus cidadãos e gestores têm pela cidade. Essa palavra, tão bem enfatizada pelo Darci no início do evento, resume tudo. Que em breve todos moradores de nossa cidade, desde o mais humilde até o mais abastado, tenha esse sentimento, pois ninguém deixa de investir no que é seu e ninguém depreda o próprio patrimônio”, relatou Andrei Lottermann, médico cruz-altense, no grupo de empresários associados à ACI Cruz Alta.

 

Autor:   Assessoria de Comunicação ACI Cruz Alta

Av. Gal Câmara, 935  |  Galeria Centauro 2° andar
Centro  |  CEP 98005-112  |  Cruz Alta - RS

Site produzido pela Netface